Pessoas em situação de rua cresce no País e também em Mairiporã

Recente levantamento divulgado pelo Observatório Brasileiro de Políticas Públicas com a População em Situação de Rua, da Universidade Federal de Minas Gerais (ObPopRua/UFMG), revelou que o Brasil possui hoje cerca de 261 mil pessoas vivendo nas ruas. Apenas na cidade de São Paulo, uma em cada quatro pessoas nesta condição pode ser encontrada.

Comparando com dados levantados em 2012, o número atual é vinte vezes maior, na época, o país contabilizava 12.775 pessoas nesta condição.

Evolução – O Estado de São Paulo também apontou um aumento preocupante nos últimos 11 anos. Em 2012, as estatísticas indicavam 5.257 pessoas em situação de rua, número que saltou para 106.857.

A ausência de uma taxa de atualização cadastral adequada pelas prefeituras pode aumentar a disparidade entre os dados reais e os números divulgados. As prefeituras e outras capitais brasileiras são responsáveis pela atualização do CadÚnico, que registra os dados sobre a situação de rua no país.

A taxa média de cadastramento entre as capitais brasileiras é de 86,7% em dezembro de 2023, de acordo com dados da ObPopRua/UFMG. São Paulo, no entanto, possui a menor taxa dentre as capitais, com 75,3%, o que indica que o número de indivíduos vivendo nas ruas pode ser até 25% maior que o informado.

Municípios – A manutenção adequada do CadÚnico é importante não só para o efetivo levantamento de dados, mas também para as finanças dos municípios. O governo federal separa uma verba que é repassada às prefeituras para a gestão do cadastro e esse valor é proporcional ao número de cadastros atualizados.

Mairiporã – Segundo dados obtidos pela reportagem junto à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, a cidade possui 26 pessoas cadastradas e na condição de ‘moradores de rua’.

O que se vê por todo o município, no entanto, é que esse número é bem maior que o contingente espalhado na maioria dos bairros.

A Prefeitura tem colocado à disposição desse grupo vulnerável, inúmeros equipamentos para bem atender com local para abrigo noturno, refeições e outros atendimentos. (Cláudio Cipriani/CJ)