Mairiporã, Cajamar e Morato dentre as cidades mais desenvolvidas, segundo o Connected Smart Cities

Os mais diversos institutos iniciaram em agosto a divulgação de seus estudos sobre o desenvolvimento das cidades brasileiras, em especial aquelas com mais de 50 mil habitantes, considerando-se os dados do IBGE de 2022. E mais um levantamento nacional coloca Mairiporã entre as cidades com excelentes resultados.

Na segunda-feira (4), Mairiporã, Cajamar e Francisco Morato se destacaram na edição 2023 do Ranking Connected Smart Cities, alcançando resultados expressivos em três indicadores analisados.

O Ranking mapeia todos os 656 municípios com mais de 50 mil habitantes, de acordo com o Censo IBGE 2022. O objetivo é definir as cidades com maior potencial de desenvolvimento do Brasil.

A edição 2023 do estudo conta com 74 indicadores, que atestam serviços inteligentes nas cidades, considerando os seguintes eixos: mobilidade, urbanismo, meio ambiente, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, empreendedorismo, segurança, governança e energia.

Mairiporã e região – Dos 11 pilares analisados, Mairiporã aparece na lista dos 100 principais municípios em três deles: no 28º lugar (nota 6,821) em Economia; 32º lugar (nota 2,132) em Empreendedorismo e no 65º lugar (nota 3,496) em Segurança. O estudo divulga somente as 100 melhores cidades em cada um dos indicadores.

Na região, Cajamar também aparece em três variantes: 24º lugar (nota 3,741) em Segurança, 31º lugar (nota 6,767) em Economia e 83º lugar (nota 2,998) em Mobilidade Urbana, e Francisco Morato, na 63ª posição (nota 3,506) em Segurança e 90º lugar (nota 2,964) em Mobilidade Urbana.

Para analistas ouvidos pela reportagem, o ranking ajuda a balizar as metas do governo municipal e os demais objetivos. “Sabemos que não existe cidade pronta, mas os rankings ajudam a aperfeiçoar as políticas públicas”, argumentaram.

Responsável pelo estudo, a Urban Systems destaca que os resultados apontam a necessidade de gestores públicos e aqueles envolvidos no planejar das cidades, em avaliar e diagnosticar cada município, tendo em mente o conceito de conexão entre os eixos, permitindo pensar uma maior integração nas ações de desenvolvimento, além de aprofundar o número de indicadores avaliados, não apenas de forma comparativa, mas também evolutiva. (Wagner Azevedo/CJ)