Investimentos na Saúde correspondem a 17,3% do orçamento

Levantamento realizado pela reportagem do Correio Juquery junto à Secretaria Municipal da Fazenda, obteve dados sobre receitas, despesas, atendimentos e procedimentos realizados pelo Governo Aladim na área específica da Saúde no primeiro quadrimestre deste ano. Constatou-se que o apenas em quatro meses foram investidos 17,30% no setor, percentual acima do mínimo estipulado em legislação federal, de 15%. O resultado tem por base a receita resultante de impostos.

A Prefeitura recebeu repasses federais de R$ 5.580.975,52, e considerando os recursos das três esferas, o gasto no setor poderá chegar a R$ 60 milhões até o final do ano.

Com base nesse valor, o município empenhou R$ 50.481.300,48 – empenho, neste caso, é a reserva para comprar produtos e serviços -, dos quais R$ 22.993.321,48 foram liquidados – ou seja, o produto foi entregue ou o serviço realizado – e R$ 22.274.107,80 foram efetivamente pagos.
Dos liquidados, R$ 13.076.755,89 (56,87%) foram de recursos próprios, ou seja, dinheiro do município, e R$ 9.916.565,88 (43,12%) repassados pelos governos estadual e federal.

Os R$ 22.993.321,48 liquidados abrangeram gastos com pessoal e encargos sociais, diárias, materiais de consumo, materiais de distribuição gratuita (medicamentos, próteses, aparelhos auditivos etc), serviços de terceiros, serviços de tecnologia da informação, benefícios ao funcionalismo, despesas de exercícios anteriores, equipamentos, obras e instalações.

A receita total do período, resultante de impostos foi de R$ 75.548.158,98, de receitas adicionais (R$ 9.002.121,28), de transferências do SUS (R$ 5.580.975,52) e mais R$ 3.195.481,72 de transferências estaduais.

Covid – As ações de enfrentamento à pandemia da Covid-19 nos primeiros quatro meses de 2021 também exigiram recursos de todas as esferas. Segundo a secretária municipal da Fazenda, Silvana Francinete da Silva, em resumo feito para esta reportagem, mostrou o que foi feito pela Prefeitura no primeiro quadrimestre para frear o avanço da doença.

As receitas recebidas para o enfrentamento da pandemia em repasses federais somaram R$ 416.304,26, estaduais, R$ 3.738.337,34, empenhado (R$ 6.537.428,78), liquidado (R$ 5.734.184,64) e efetivamente pago (R$ 4.154.641,60).

Saúde – O prefeito Aladim, desde que assumiu o governo em janeiro último, disse que a Saúde era prioridade em seu governo, assim como outras áreas sociais.

A manutenção do Hospital Anjo Gabriel (foto), funcionando como hospital de campanha, só foi possível graças aos investimentos feitos pela Municipalidade, superiores a 60%, e seu custo total apenas é complementado pelo Estado.

A administração também tem direcionado recursos de emendas parlamentares para equipar e melhorar o atendimento no Hospital e Maternidade Mairiporã.

“Nossa preocupação sempre foi a Saúde em Mairiporã. Não temos medido esforços para deixá-la em condições de oferecer atendimento digno àqueles que dependem unicamente da saúde pública”.

Disse ainda que o governo, mesmo nestes tempos de economia difícil, tem procurado investir forte nessa área. (Cláudio Cipriani/CJ – Foto: Divulgação)