Governo inicia estudos para quase R$ 200 bi em investimentos no 1º semestre

O Governo de São Paulo qualificou, ao longo do primeiro semestre de 2023, 17 projetos no Programa de Parcerias de Investimentos do Estado de São Paulo (PPI-SP), que deverão trazer R$ 192 bilhões em investimentos nos próximos anos.

Entre os empreendimentos, destacam-se as duas parcerias público-privadas (PPPs) para os Trens Intercidades (TICs) Eixo Norte, que ligará a cidade de São Paulo a Campinas, e Eixo Oeste, que vai permitir o deslocamento por linha férrea entre a capital e Sorocaba.

Estão inclusas ainda as concessões de trechos de rodovias e de linhas de transporte metropolitano sobre trilhos; a transferência da sede administrativa do Governo para o Centro de São Paulo; e a desestatização da Sabesp.

Trens Intercidades – Também em março, a Secretaria de Parcerias em Investimentos – Pasta criada pela gestão Tarcísio de Freitas com o intuito de firmar parcerias com a iniciativa privada e melhorar a infraestrutura do Estado – publicou o edital para o leilão internacional para a construção do TIC Eixo Norte, que ligará a cidade do interior à capital paulista. Os investimentos estão orçados em R$ 12 bilhões.

A estimativa é que o percurso de cerca de 100 quilômetros tenha duração de aproximadamente 60 minutos. Além dos benefícios na mobilidade urbana para mais de 15 milhões de pessoas, o empreendimento gerará mais de 10 mil empregos diretos, indiretos e induzidos, e contribuirá para a redução das emissões de CO2. Dentro do projeto, também haverá o Trem Intermunicipal (TIM), entre Jundiaí e Campinas, com 44 quilômetros de extensão. A concessão da Linha 7-Rubi da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) está inserida no projeto.

Rodoanel – Também em março, a gestão estadual, por meio da Secretaria de Parcerias de Investimentos (SPI), deu prosseguimento à conclusão das obras do Trecho Norte do Rodoanel após leilão realizado na sede da B3, a Bolsa de Valores de SP. A Via Appia FIP ficará responsável pela retomada e conclusão da obra, paralisada em 2018.

Ao todo, o projeto está orçado em R$ 3,4 bilhões. O consórcio ficará responsável por aplicar R$ 2 bilhões na finalização das obras civis, além de mais R$ 323,4 milhões para a implantação de projetos auxiliares. Com o deságio, o Governo de São Paulo deverá aportar outros R$ 1,07 bilhão.

A empresa terá a concessão dos serviços de operação, manutenção e realização dos investimentos necessários para a exploração do sistema rodoviário pelo prazo de 31 anos.

“Nestes primeiros seis meses conseguimos dar vazão a um projeto muito importante para melhorar o fluxo do trânsito na Região Metropolitana de São Paulo, que é o RodoAnel Norte. Foi o primeiro de uma série de leilões que temos projetados para os próximos anos”, afirmou o secretário de Parcerias de Investimentos, Rafael Benini.

O Trecho Norte do Rodoanel terá 44 quilômetros de extensão no eixo principal, com três ou quatro faixas de rolamento por sentido, passando pelos municípios de São Paulo, Arujá e Guarulhos.

O Rodoanel Norte também vai beneficiar Mairiporã, que devera reduzir significativamente o fluxo de caminhões e carretas que hoje transitam pelo centro da cidade. (Da Reportagem – Foto: GSP)