Depois de 10 anos, Cantareira atinge 70% da capacidade total

O Sistema Cantareira, maior produtor de água da região metropolitana de São Paulo, alcançou na quarta-feira (10) o maior nível nos últimos dez anos, com 70% em sua capacidade de armazenamento. A última vez que registrou tal nível foi no dia 23 de agosto de 2012. Há exatamente um ano, o Cantareira operava com 43% da capacidade.

As chuvas dos últimos meses melhoraram a situação de todos os mananciais que abastecem a região metropolitana de São Paulo, segundo consta no relatório que é divulgado diariamente pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Outros sistemas de São Paulo também operavam hoje em nível de normalidade, acima de 69% de sua capacidade. A única exceção era o Sistema Rio Claro, que opera com apenas 42,7%, em nível de atenção. Somados todos os sistemas operados pela Sabesp, o nível dos mananciais atingiu 74,2% nesta quarta-feira.

Níveis – A captação de água do Sistema Cantareira é condicionada ao nível de armazenamento de água do manancial observado no último dia de cada mês. Foram criadas cinco faixas, definidas por uma resolução conjunta da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico e do Departamento de Águas e Energia Elétrica, em 2017, que devem ser seguidas pela Sabesp.

Os cinco níveis criados pela resolução são: normal, quando é igual ou maior que 60%; atenção, se igual ou maior que 40% e menor que 60%; alerta, quando é maior que 30% e menor que 40%; restrição, se maior que 20% e menor que 30%; e especial, quando o volume acumulado está abaixo de 20%. Essas faixas orientam os limites de retirada de água do sistema.

No dia 28 de fevereiro o Cantareira estava com 69,1% de sua capacidade total, e portanto o sistema opera atualmente na fase normal. (Agência Brasil – Foto: Rovena Rosa/ABR)