Câmara instala CEI para investigar área da Pedreira do Dib

A destinação que se quer dar à área que abriga a Pedreira do Dib, um dos pontos turísticos mais importantes da cidade, chegou até o Poder Legislativo. Na sessão ordinária de terça-feira (4) os vereadores aprovaram a instalação de uma CEI (Comissão Especial de Inquérito), que vai investigar se os proprietários da área possuem autorização obtida no ano passado, junto à Cetesb, órgão ambiental do Estado, e saber se a área pode sofrer alterações ambientais.

O requerimento foi assinado pelos 13 parlamentares e observados os preceitos legais, a Comissão ficou assim constituída: Rubens Alves (presidente); Marcio de Oliveira (relator) e Valdeci América, Dori Freitas, Nil Dantas, Fernando Rachas e Gilberto Tadeu (membros). O prazo para entrega do relatório final é de 90 dias.

A área – Até onde a reportagem conseguiu apurar, de forma oficiosa, a pedreira funcionou regularmente até 1973, quando teria sido aprovado um loteamento pela Imobiliária Souza Santos e devidamente registrado no Cartório de Registro de Imóveis. Foram comercializados vários lotes e inúmeros imóveis construídos.

A vereadora à época, Maria Zeza Gomes de Oliveira, no entanto, solicitou o cancelamento do registro, o que teria sido determinado pelo Judiciário.

Ainda de acordo com o apurado, a empresa do loteamento acabou falindo e o senhor Antônio Assad Dib comprou a massa falida.

O local está fechado e durante vários anos serviu para a prática de esportes radicais. De um tempo até esta data surgiram informações sobre outra destinação ao local. Na semana passada o prefeito Aladim, através das redes sociais, informou que a Prefeitura não liberou nenhum tipo de alvará para a referida área.

Os proprietários da área, ou seus responsáveis, que o jornal não conseguiu contato na última semana, se pronunciaram através das redes sociais e negaram que o local será transformado em um lixão.