Caged: Mairiporã fecha 7 postos de trabalho com carteira assinada em abril

Mairiporã registrou saldo negativo na criação de postos de trabalho com carteira assinada em abril. O número de vagas fechadas foi pequeno, mas suficiente para interromper o viés positivo que se observou em fevereiro e março, e houve queda em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, a diferença entre o número de contratações e de demissões ficou negativo em 7 postos de trabalho.

O número mostra uma queda de 20,5% em março e de 14,5% em relação ao mesmo mês do ano passado, quando 48 postos de trabalho foram criados.

Do início do ano até abril o resultado é positivo em 19 vagas, enquanto em igual intervalo de tempo de 2022 foi negativo em 11 vínculos trabalhistas celetistas.

O salário médio de admissão subiu de R$ 1.971,11 para R$ 2.015,58 em abril.

Setores – A Indústria de Transformação foi quem mais gerou emprego com carteira assinada em abril (26), seguida pela Construção Civil (5) e Agropecuária (1). No entanto, as demissões foram maiores em Serviços (-32) e Comércio (-7).

Ainda no mês em questão, foram 632 trabalhadores contratados e 639 desligados. A Indústria segue como o único setor a registrar resultados positivos no primeiro quadrimestre.

Com esses números, Mairiporã tem um estoque de 14.584 trabalhadores formais, divididos da seguinte forma nos cinco principais setores da economia local: Serviços (5.772), Indústria da Transformação (4.660), Comércio (3.698), Construção Civil (485) e Agropecuária (19).

Região – Outro ponto negativo para Mairiporã é que foi o único município a ter saldo negativo dentre as demais cidades da região.

De acordo com o Caged, Caieiras fechou o mês com a criação de 114 postos de trabalho, Cajamar (+710), Francisco Morato (+75) e Franco da Rocha (+113). (Salvador José/CJ – Foto: Unsplash)