50 mil itens não entregues serão leiloados pelos Correios

No próximo dia 2 de maio os Correios vão realizar o leilão de 50 mil itens de objetos postais tidos como refugo. De acordo com a empresa, os objetos são considerados refugo após diversas tentativas frustradas de entrega, não sendo reclamados pelo destinatário, nem pelo remetente.

Os itens disponíveis estão divididos em seis lotes, que incluem celulares e equipamentos diversos, como máquinas de costura e instrumentos musicais, além de material de microinformática, a exemplo de impressoras, notebooks e tablets.

As regras estabelecem que os  lances iniciais variam de R$ 2,4 mil a R$ 253,5 mil, sendo que tanto pessoas físicas como jurídicas podem participar da disputa.  Para isso basta se cadastrar na plataforma Licitações-e, e após essa etapa, se habilitar para enviar propostas de forma eletrônica.

Antes de realizar uma oferta, contudo, é prudente ler atentamente o edital do leilão. No documento há maiores detalhes sobre cada lote e informações sobre formas de pagamento e retirada, em caso de arremate.

De acordo com os Correios, antes de ser considerado refugo, são realizadas três tentativas de entrega ao destinatário, em caso de  “Destinatário Ausente”. Para as ocorrências de “Recusado”; “Mudou-se”; “Endereço insuficiente”; “Não existe o número indicado”; e ou “Desconhecido”, é realizada uma tentativa de entrega.

Para as situações de “Endereço Insuficiente” e “Não Existe o nº Indicado”, após a tentativa de entrega, o objeto é encaminhado para entrega em agência, onde o destinatário pode retirar a encomenda.

Já para “Destinatário Ausente”, após tentativas em três dias subsequentes, o objeto é encaminhado para a Agência dos Correios mais próxima e aguarda a retirada pelo destinatário, que é comunicado através do aviso de retirada. Após todas essas tentativas de entrega, o objeto é devolvido ao remetente, quando sofrerá o mesmo tratamento: tentativas de entrega, encaminhamento para uma agência e guarda para que o remetente o retire. Se isso não ocorrer, ele será disponibilizado por mais um prazo de 90 dias, até ser convertido em refugo. (Da Redação – Foto: Divulgação/Correios)