Coluna do Correio

FRASE

“O honesto é pobre, o ocioso triunfa e o incompetente manda.” (Gregório de Matos, advogado e poeta do Brasil colônia)

HOTEL

Nada como um hotel para marcar as diferenças entre Mairiporã e o restante das cidades (26) que participaram dos Jogos Regionais na litorânea São Sebastião. Ficar em alojamentos adaptados em escolas municipais é coisa para prefeituras pobres, sem recursos. O que não é o caso de Mairiporã. Nossa delegação, formada por atletas de handebol, basquete, taekwondo, karatê e ciclismo, se ficou muito aquém de premiações durante as competições, foi premiada com conforto e sem aquela história de dormir em colchões espalhados por salas de aula. Como diziam os antigos, “Miséria pouca é bobagem”.

 

PLANO (I)

O prefeito Antônio Aiacyda mantém engavetada uma proposta de Plano de Cargos e Salários dos servidores. Essa novela parece longe de terminar. Não há respeito ao funcionalismo municipal que segue trabalhando com um dos piores salários do Estado, espremidos em instalações acanhadas e assistindo as benesses (feitas com dinheiro do povo) com os cabos eleitorais e correligionários dependurados nas tetas gordas do erário. Um Plano de Cargos e Salários seria o primeiro passo para acabar com essa ignomínia chamada ‘cargos em comissão’. A maioria que foi nomeada ainda em 2017, não preenche os requisitos do cargo.

PLANO (II)

A coluna já destacou em outras oportunidades, mas sempre é bom lembrar, que aqueles que se aposentaram depois de décadas de serviço, recebem salários miseráveis, pois os benefícios aos vencimentos mensais não são contabilizados na hora de encerrar a carreira. Sem um Plano de Cargos e Salários, os espertalhões vão continuar nomeando seus compadres e comadres e um exército de desocupados pouco afeito ao trabalho, que deixa a tarefa de ‘carregar o piano’ aos concursados.

CAMPANHA (I)

O site oficial da Prefeitura, pelo menos até ontem, não tinha sequer uma simples menção à Campanha do Agasalho da Secretaria de Desenvolvimento Social. Falta prestígio à secretária, que vem a ser a esposa do prefeito? Não é de hoje que as campanhas de agasalho da entidade deixam de ser divulgadas e nunca se sabe os resultados obtidos. Estranho, mas é a verdade.

CAMPANHA (II)

Questões como a quantidade de peças arrecadadas, quantas famílias beneficiadas e números para comparativos com campanhas anteriores não são divulgadas pela titular da pasta.

INVESTIMENTOS

Em 2009 a Sabesp viu seu contrato com a cidade terminar, depois de 30 anos explorando o serviço de água e esgoto. Foi quando o prefeito Antônio Aiacyda assumiu o segundo mandato. Nem se incomodou em cobrar a renovação do documento. A empresa seguiu operando no município sem dar satisfações a ninguém. Em 2016 o contrato foi renovado pelo então prefeito Márcio Pampuri, com a promessa de investimentos de mais de R$ 270 milhões. Aiacyda voltou ao cargo e já estamos em 2019, e não se viu falar em Sabesp, em investimentos, etc e tal. Em outras cidades onde atua, a Sabesp cumpre direitinho aquilo que está acordado em contrato, porque as autoridades cobram, fiscalizam. O silêncio das autoridades mairiporanenses é letal aos interesses do povo. E pelo visto mais 30 anos vão se passar sem que a Sabesp sofra uma mísera ameaça de cobrança que seja.

ORÇAMENTO

A equipe econômica da Prefeitura deve estar debruçada sobre o Orçamento para o ano que vem. Muito pouco ou nada deve mudar em relação às Diretrizes Orçamentárias, aprovada no mês passado pelos vereadores, que não apresentaram emendas, exceto uma, que beneficia eles próprios, com recursos para suas demandas, bastante apropriada em ano eleitoral. Descontadas a folha de pagamento, os investimentos constitucionais em Educação e Saúde, sobra… nada para investir na cidade. E aqui, nada é nada mesmo.

BARULHO

A proximidade do mês de setembro, último prazo para quem deseja se filiar a partido político e se candidatar nas eleições do ano que vem, vai intensificar o barulho dentre os caciques da cidade.  E como em eleições anteriores, vamos ter pré-candidatos que irão se filiar várias vezes até o prazo expirar. Apenas para aqueles que desconhecem (e são maioria) o prazo para o conhecido e adorado ‘troca-troca’ entre os políticos, de seis meses antes do pleito, só vale para quem tem cadeira na Câmara e quer trocar de puleiro. Aos mortais, é um ano.

OITO ANOS

A promessa de acabar com as comissões provisórias dos partidos, por determinação do TSE, ficou mesmo na promessa. O presidente Jair Bolsonaro decidiu participar da baderna e autorizou mais 8 anos para que os ‘donos’ de partido possam por e dispor de seus filiados da forma que lhes convém. Ou seja, fica como estava e viva a bandalheira.

EXPECTATIVA

Até por conta de maiores repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), cujos recursos socorrem prefeitos incompetentes e perdulários, a expectativa em torno do anúncio do IBGE, no início de agosto, sobre a estimativa populacional, é grande em Mairiporã, pois se passar dos 100 mil (hoje tem 98 mil), a ‘mordida’ no dinheiro federal será maior.

Comentários