Tribunal de Contas divulga gastos das câmaras municipais

LEVANTAMENTO inédito do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP) aponta os vereadores da Praia Grande, cidade do litoral sul, como os mais caros de todos os municípios paulistas. Com população de 319 mil habitantes, a cidade tem oito vereadores em sua Câmara, que custam, em média, R$ 4,1 milhões por ano.
Os dados estão disponíveis no ‘Mapa das Câmaras’, plataforma virtual divulgada pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. O estudo abrange os custos de funcionamento, a quantidade de funcionários e Vereadores, em cada uma das 644 Câmaras Municipais. Os dados são de 2018 e podem ser comparados por meio da ferramenta do TCE.
Praia Grande tem os gastos mais altos por vereador, segundo o levantamento e também aparece entre as que mais têm servidores por parlamentar. São 148 agentes lotados nos gabinetes, uma média de 18, para cada vereador. Neste ranking, a Câmara litorânea aparece em quarto lugar.
Atrás de Praia Grande, os vereadores mais caros são de Campinas (R$ 3,1 milhões), Guarulhos (R$ 2,7 milhões), e Santos (R$ 2,6 milhões).
Guarulhos é a cidade em que cada vereador tem à disposição a maior quantidade de servidores. São 1.134 em toda a Câmara Municipal, totalizando uma média de 32,4 por parlamentar. A média é muito superior, por exemplo, a Barueri, que vem logo abaixo, com 20,5 servidores por gabinete, e tem 432 lotados.
O maior gasto com pessoal também é da Câmara de Campinas: foram R$ 104 milhões em 2018. Guarulhos vem em segundo, com R$ 97 milhões. Em terceiro, São Bernardo do Campo (R$ 58 milhões).
Região – Mairiporã aparece no mapa com gasto anual de R$ 7,8 milhões, conta com 13 vereadores, tem 68 funcionários (média de 5,2 servidores por parlamentar) e um gasto per capita de R$ 98,58, para uma população de 98.374.
O Legislativo que tem maior custo é o de Cajamar, cidade industrial, com custo de R$ 15,5 milhões, e um total de 15 vereadores. O gasto per capita é de R$ 205,43 (população de 75.638), mas curiosamente no levantamento não aparece o número de funcionários.
A segunda Câmara que mais tem gastos é Caieiras, com R$ 9,9 milhões, tem 64 funcionários, 10 vereadores e despesa per capita de R$ 99,41, com 100.129 habitantes.
A terceira Câmara da região em consumo de dinheiro público é a de Franco da Rocha, com R$ 7,9 milhões no ano passado, para uma quantidade de 11 vereadores e 48 funcionários, e gasto per capita de R$ 52,38, e 152.433 habitantes. E finalmente Francisco Morato, que consome do orçamento municipal R$ 6 milhões com 12 vereadores e 36 funcionários, gasto per capita de R$ 34,64 e 174.008 pessoas que habitam na cidade.
Os cinco legislativos da região, juntos consumiram dos cofres públicos, no ano passado, R$ 47.310.783,08, para uma população total de 600.582.
(fazer quadro)

Comentários