Emprego formal na cidade fechou 56 postos em novembro

Depois de oscilar positivamente em outubro, Mairiporã voltou a registrar queda na geração de emprego formal (com carteira assinada) em novembro, segundo dados divulgados na quinta-feira, 20, pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho.

De acordo com os números, foram fechados 56 postos de trabalho, o que elevou para 70 o total de trabalhadores demitidos entre janeiro e novembro. Nos últimos doze meses, já são 147 vagas a menos no mercado de trabalho.

Três dos principais setores, Indústria de Transformação, Construção Civil e Serviços, foram os que mais demitiram, com um total de 66 trabalhadores, enquanto o Comércio, em período de contratações temporárias, admitiu 10 pessoas.

Foram 30 vagas fechadas na Indústria, outras 30 em Serviços e 6 na Construção Civil. A Agropecuária zerou, ou seja, demitiu e contratou o mesmo número de trabalhadores.

No acumulado do ano, a Indústria contratou mais, 139 vagas preenchidas, Serviços também admitiu mais, num total de 12, porém a Construção Civil dispensou 59 operários e o Comércio outras 133 pessoas. Se computado os últimos doze meses, apenas a Indústria oscilou positivamente. Este ano foram 3.852 contratações e 3.922 demissões.

Se mantida a média de empregos durante os 11 meses deste ano, Mairiporã vai fechar 2018 com saldo negativo na oferta de vagas aos trabalhadores.

Região – Ainda de acordo com o Caged, nas cidades da região Cajamar e Francisco Morato mais contrataram em novembro, enquanto Caieiras, Mairiporã e Franco da Rocha tiveram saldo negativo.

Dentre todas elas, Caieiras é a que apresente os piores números, pois só este ano já demitiu 829 trabalhadores. (Salvador José)

Comentários