BLOG DO GAIATO

(ilustração)

CARTINHA DE PAPAI NOEL

Pelos corredores do Paço a conversa é que os contribuintes de Mairiporã (não quantificaram em percentual) vão receber uma cartinha até simpática do governo Aiacyda, certamente com ilustrações do Papai Noel. O leitor fique atento, pois pode estar na lista do pessoal que fez um ‘puxadinho’ no seu imóvel e vai receber como prêmio um boleto extra junto com o IPTU. A conversa vai além, diz que a notificação chegará aos montes. A Prefeitura não está errada. Quem paga menos metragem e possui mais, tem que ser tributado. O momento é que não enseja esse tipo de cobrança.

‘NOVOS’ TUCANOS

Ou não há bons profissionais no mercado ou o novo governador João Dória, tem um círculo de amizades muito restrito. O novo inquilino do Palácio dos Bandeirantes simplesmente abarcou uma leva de futuros desempregados do Governo Temer e que passam, em janeiro, a ocupar o primeiro escalão de São Paulo. São cinco: o ministro das Cidades, Alexandre Baldy (PP), para a Secretaria dos Transportes Metropolitanos; o ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab (PSD), na Secretaria da Casa Civil; o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, será o titular da Cultura e o atual ministro da Educação, Rossieli Soares, na pasta equivalente no Estado, assim como o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz. O sexto integrante confirmado esta semana foi Henrique Meirelles, que vai ocupar a pasta da Fazenda, depois de ter sido candidato a presidente da República. Nem mesmo Paulo Skaf, candidato derrotado a governador pelo MDB, ousaria tanto. Se a posse demorar mais um pouco pode até ser que Michel Temer consiga uma boquinha.

AOS INTERLOCUTORES

Derrotado na escolha do presidente da Câmara para 2019/2020, o vereador Chinão Ruiz (PSD) segue dizendo aos interlocutores que será candidato a prefeito na sucessão de Aiacyda. Tem dito frequentemente que ser vereador é apenas um início na política, mas que não deve ser duradouro. Descobriu, na verdade, que a função de legislador não tem poderes e não pode influir nos destinos da cidade. Não da forma como ocorre em Mairiporã, em que as barganhas dão lugar à representatividade.

(ilustração)

AUMENTO DESENFREADO

Com um governo municipal que não tem política pública para reduzir as diferenças sociais na cidade, o que se vê, principalmente neste mês de dezembro, é um aumento desenfreado de ambulantes por todos os cantos. Com o Natal próximo, a tendência é que esse número seja ainda maior. Praças, ruas e avenidas estão lotadas de pessoas desempregadas que

buscam o sustento através de barraquinhas com os mais diversos produtos. A maioria deles, claro, genéricos.

(ilustração)

ÁLCOOL FORA DA BOMBA

A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou mais um daqueles projetos que que nunca são cumpridos. Trata-se da proibição de bebidas alcoólicas na área de abastecimento em postos de gasolina. Segundo o autor, deputado Wellington Moura (PRB), a bebida estimula brigas, rachas e pancadões que acontecem nesses estabelecimentos. Mas os bebuns de plantão podem ficar sossegados. Uma emenda que altera o projeto foi aprovada e permite o consumo de bebida alcoólica em áreas restritas dos postos e que fiquem fora do pátio de abastecimento. Para o deputado Jorge Caruso (MDB), autor da emenda, há postos que possuem áreas de lazer, restaurantes, quiosques e lojas de conveniência. Ou seja, perto da bomba de gasolina, só os carros podem beber. Alguns passos adiante vale tudo.

EM DEZ PRESTAÇÕES

A situação do brasileirão não está nada fácil. Ao contrário, a falta de dinheiro é crônica e mesmo as expectativas positivas com o novo governo não são suficientes para mudar esse quadro. A crise chegou também às igrejas, pois as receitas de dízimo despencaram de forma nunca antes vista neste País. Usar a criatividade tem sido a saída encontrada por alguns pastores. No Rio de Janeiro, um desses templos resolveu não só inovar, mas não ficar sem o dinheiro, e colocou uma faixa com os seguintes dizeres: “Parcelamos o seu dízimo em atraso em até dez vezes”. E pode ser no cartão!

(ilustração)

MAIS UMA TURNÊ

Não é por nada não, mas alguém ainda aguenta assistir a mais um show de Paul McCartney no Brasil. O moço parece trilhar o mesmo caminho de Roberto Carlos, que ano vem, ano vai, faz um show com as mesmas músicas. McCartney fez dezenas de shows no Brasil nos últimos cinco anos. Com essa dose cavalar do ex-Beatle, só gritando Help!

Comentários