13º salário injeta R$ 31 milhões na economia da cidade

O PAGAMENTO do 13º salário, cuja primeira parcela foi paga no último dia 30 de novembro, deve inserir na economia mairiporanense cerca de R$ 31 milhões até o final do ano. Esse dinheiro vai ajudar o trabalhador a equilibrar o orçamento doméstico. O prazo para o depósito da segunda e última parte termina no dia 20 deste mês.
Aproximadamente 13 mil trabalhadores formais (com carteira assinada) vão ser beneficiados com o abono, segundo levantamento feito pela reportagem junto à Rais (Relação Anual de Informações Sociais) e ao Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). No caso da Rais, foram considerados todos os assalariados com carteira assinada, empregados no mercado formal, nos setores público e privado, que trabalhavam em dezembro de 2017, acrescido do saldo do Caged de 2018 (até outubro).
Do total de trabalhadores que devem ser beneficiados, 35% trabalham no setor de Serviços (4.470); os trabalhadores da Indústria de Transformação correspondem a 3.375 (25%), outros 3.070 atuam no Comércio (21%) e 450 na Construção Civil (3,5%). Na administração pública trabalham 2 mil trabalhadores.
A média salarial tomada por base é de R$ 2.305,68, enquanto a de pouco mais de 8 mil aposentados e pensionistas do INSS, de R$ 1.340,00.
Na comparação com o ano passado, se descontada a inflação, o total do 13º se manteve na mesma faixa, assim como o número de trabalhadores formais.
O cálculo levou em conta os adiantamentos aos aposentados e pensionistas do INSS, que começaram a receber a primeira parcela em agosto, assim como os funcionários públicos municipais, em junho.

Comentários