Estado quer 80 mil vagas para cursos técnicos a distância

80 MIL vagas em cursos técnicos à distância para estudantes que estejam cursando o segundo ano de ensino médio na rede pública. Essa é a proposta do governo estadual para o início do ano que vem. A finalidade, segundo o secretário Ricardo Bocalon, do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, é que os alunos tenham a chance de, enquanto fazem o ensino médio regular, concluír o curso também com uma profissão.
Além disso, a conclusão do curso técnico dará direito ao ingresso direto na Universidade Virtual Paulista (Univesp), que também oferece cursos a distância com o uso da internet e opção de estudo conforme a agenda do estudante.
De acordo com Bocalon, as escolas públicas terão monitor do Centro Paula Souza para tirar dúvidas dos alunos. Explicou que na prática todo aluno do Estado que chegar ao segundo ano do ensino médio poderá escolher um curso técnico a distância da Etec.
A inspiração é o modelo de ensino a distância da Univesp, que há um ano e meio tinha 3 mil alunos em 7 cidades, e hoje está em 330 cidades com 50 mil alunos. Os cursos da Univesp incluem, entre outros, engenharia de produção e da computação, matemática, pedagogia, tecnólogo. Em parceria com as prefeituras, que cedem espaços, são instalados laboratório de informática para suporte aos alunos.
O plano para a aprendizagem a distância no ensino médio é disponibilizar cinco cursos, dos quais estão definidos três (administração, contabilidade e técnico em turismo) e os outros dois ainda serão conhecidos. A viabilização conta com parceria integrada da Secretaria da Educação, do Centro Paula Souza e da Univesp.
Dentro desse projeto, Bocalon também disse que o plano do governo é gerar 450 mil vagas à Univesp.

Comentários