Morrem os textos longos

Aniversários têm virado um problema ultimamente. Não o meu aniversário, afinal esse é um problema que só acontece uma vez por ano. Falo do aniversário dos outros, principalmente de amigos ou conhecidos mais próximos. Isso porque, aparentemente, eu perdi o meu tão elogiado dom de escrever textos longos, bonitos e emocionantes para desejar parabéns às pessoas.
Há alguns anos, eu investia todo o meu tempo e criatividade em escrever algum texto e enviar para o aniversariante do dia. Além de, claro, esperar dar meia-noite e assim ser a primeira pessoa a desejar os parabéns. Seja virtual ou pessoalmente, nunca deixei de lado esse esforço. O tempo passa e é normal que percamos alguns hábitos.
O primeiro a ir embora foi a mania de esperar virar o dia. Depois, os textos foram diminuindo, não por preguiça e sim por falta de criatividade. Afinal, o que falar para uma pessoa para a qual você escreve todo ano? Os sentimentos continuam os mesmos, assim como as palavras. E repetir o texto já enviado no ano anterior não vale. O que sobra são palavras batidas como “te desejo tudo de bom” ou “muitas felicidades”.
Esses dias um amigo meu de anos fez aniversário. Fui avisado por uma dessas notificações do Facebook, que te informam quem faz aniversário. Também fui lembrado por uma amiga que temos em comum. Como é um amigo próximo, não queria escrever qualquer mensagem banal e, por isso, preferi esperar um momento no qual pudesse escrever com tranquilidade. Acontece que o dia passou e, obviamente, acabei esquecendo. Não, não esqueci a data em si e sim de escrever algo – e foi isso que tive que explicar no dia seguinte, quando, finalmente, me lembrei.
O importante é que tudo isso não significa que os aniversários se tornaram menos importantes, ou que as amizades não são tão intensas quanto antes. Apenas que existem coisas na vida que nem sempre precisam ser ditas com palavras – e nem nos dias certos.

Comentários