Eleições varreram o PSDB do mapa eleitoral

A derrota acachapante do PSDB nas eleições de domingo e a onda de mudanças que se verificou de Norte a Sul do País deixaram um recado claro das urnas: chega da velha política e dos velhos políticos.
Em Mairiporã também foi dado esse mesmo recado aos tucanos, cujos candidatos a quem deram apoio registraram votações pífias. Longe dos votos em larga escala de 2014, desta vez os forasteiros que tiveram como cabos eleitorais os vereadores e o prefeito, ex-vereadores e ex-prefeitos, sucumbiram à realidade que tomou conta da Nação.
Com todo aparato da administração municipal, quem recebeu mais votos este ano, para a Assembleia Legislativa, foi Sandra Santana, secretária do gabinete do deputado Celino Cardoso, que não quis mais disputar a reeleição (sábio acerto), com 1.745 votos. Quatro vezes menos que o próprio Celino em 2014. Os demais ficaram na média da maioria que recebe votos na cidade a cada quatro anos, ou seja, votações que não ajudaram e prejudicaram uma vez mais a imagem da cidade.
Os grandes derrotados foram o prefeito Aiacyda, que gravou um vídeo em favor de Geraldo Alckimin e viu sua votação conseguir algo inédito em Mairiporã, o de perder, pela primeira vez, para um candidato do PT, seus secretários municipais, que também saíram em campanha e a maioria dos vereadores.
Não conseguiram boas votações os vereadores Valdeci América, Ricardo Ruiz e o presidente da Câmara, Marco Antônio. Este último trabalhou para a candidatura federal de Miguel Haddad. Se em 2014 ele levou 3.172 votos, desta vez os votos foram em número cinco vezes menor. Mal passou dos 600.
Portanto, sinal de alerta ligado para os tucanos, que colheram neste pleito aquilo que plantaram nos dois primeiros anos de governo na cidade. Avisos foram dados ao longo dos últimos meses, porém os ocupantes do Palácio Tibiriçá fizeram ouvidos moucos. Nada como uma eleição para colocar cada um em seu devido lugar.
PV – Outro que fracassou foi o ex-prefeito Márcio Pampuri, ao se expor em apoio à candidatura do vereador Nil Dantas para federal. Fez 1.500 votos, uma clara demonstração de que o partido perdeu força depois da derrota de 2016 e que não consegue se descolar daquilo que de pior juntou ao longo dos anos.
A fraquíssima votação do candidato do MDB, Dr. Nando, já era pedra cantada. Não conseguiu nem mesmo a votação que teve para vereador em 2016.

Comentários