Zona Azul eletrônica vai facilitar aplicação de multas

A NOVA Zona Azul eletrônica, que entrou em operação na terça-feira, 2, vai facilitar aplicação de multas e a rotatividade dos veículos, segundo especialistas. A preocupação, no entanto, é saber se ele vai ser eficiente.
Consultor de engenharia urbana e especialista em trânsito, Célio Bastos Leme, ouvido pela reportagem. Disse que a Zona Azul eletrônica facilita a fiscalização.
“A essência é a facilidade de controle e de aquisição. Na realidade, ele facilita muito mais para aplicar a multa do que a simples compra. Os mais modernos sistemas permitem que a multa seja eletronicamente emitida”, enfatiza.
A vantagem, segundo o especialista, é a rotatividade permitida pelo sistema.
“Você facilita que seja democraticamente dividido o espaço, não é privilégio de quem chega mais cedo ou de quem é amigo de um guarda. Elimina os guardadores, dá mais segurança, dá mais controle, dá mais facilidade ao usuário”, finaliza.
De todo modo, afirma que essa experiência com o novo sistema é válida para avaliar três coisas: a comodidade do usuário, que deve ser o principal papel. E nesse sentido, o talonário da Zona Azul era razoável, do ponto de vista do usuário da zona. A segunda preocupação, a facilidade de implantação, já que todo o sistema é terceirizado, e o terceiro, o problema da fiscalização. É fácil de fiscalizar, pois o sistema parece ter pouca viabilidade de ser burlado.
Os usuários ainda se mostram confusos nessa primeira semana e também reclamaram muito dos novos preços, que dobraram de valor.

Comentários