Eleitoras de meia idade predominam em Mairiporã

A JUVENTUDE termina aos 35 e a terceira idade começa aos 58 anos. É isso que afirma uma pesquisa realizada pela Universidade de Kent, na Grã-Bretanha. Conforme os autores do estudo, os 23 anos entre as duas etapas da vida equivalem ao que os especialistas chamam de meia-idade.

E o perfil da maioria do eleitorado de Mairiporã é formado por mulheres com idades entre 45 a 59 anos, com ensino médio completo, segundo as estatísticas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na hora de definir o voto, contudo, esse grupo terá à disposição um quadro de candidatos locais composto apenas por homens.

Segundo a Justiça Eleitoral, as mulheres representam 51,4% do eleitorado de Mairiporã, composto por 61.289 pessoas. Quatro em cada dez cidadãos não concluíram o ensino fundamental (1º ao 9º anos), enquanto 27,2% têm ensino médio completo e apenas 9,7% terminaram alguma graduação.

Quantidade – Para cientistas políticos, a quantidade de candidatos homens e mulheres, por si só, não representa necessariamente baixa representatividade das demandas nos parlamentos. Em sua avaliação, o Poder Legislativo se preocupa com pautas mais genéricas.

O problema maior é a baixa representatividade de setores específicos da sociedade e a difícil renovação dos quadros nos parlamentos. “Em vários aspectos, está mais difícil para que os novos candidatos consigam se eleger, como na distribuição do fundo partidário”, avaliam.

A baixa inserção feminina nos parlamentos poderia ser contornada com a destinação de uma cota não apenas entre as candidatas, mas também entre as eleitas. “Isso faria com que os partidos apostassem na qualificação de seus quadros, e não utilizassem mulheres como ‘laranja’”, em referência às cidadãs chamadas exclusivamente para preencher o porcentual mínimo.

Comentários