Limpeza

Há algumas semanas resolvi fazer uma limpeza no meu guarda-roupa. Uma limpeza de verdade, não mais uma daquelas “limpezas-falsas”, quando a gente tira todas as peças de roupa dos cabides, escolhe uma ou duas (de preferência as que têm algum furo ou rasgo) para jogar fora ou para doar e depois coloca tudo no mesmo lugar. Abri o armário e as gavetas, analisei peça por peça e, no final do dia, consegui separar toda a roupa que eu costumo usar no dia-a-dia daquelas que não me servem mais, ou por estarem muito grandes, ou muito pequenas. O trabalho até que não foi tão demorado, não pela quantidade de roupas dentro do armário, e sim porque o pó que saia das mais antigas, aquelas que ficam esquecidas no fundo das gavetas, me obrigava a parar uma vez ou outra para respirar.
Encontrei alguns shorts que nunca foram meus (ou que, se foram, não lembro de tê-los usado), camisetas com estampas de personagens infantis que certamente não agradariam o senso de estilo de muitas pessoas que me vissem na rua usando alguma delas e pijamas furados aqui e ali, com aquele tipo de rasgo bem na região da axila que simplesmente não se sabe como foi acontecer.
Ao passo que ia tirando as coisas do armário, outras pessoas foram se interessando pelas peças que, para mim, já não tinham mais salvação. Minha prima, por exemplo, se apaixonou por uma blusa de moletom que eu deixei de usar desde o ano anterior. Sim, o tamanho é mil vezes maior do que o dela, mas parece que usar roupas largas é algum tipo de moda.
Então me peguei pensando no motivo de mantermos essas roupas que não usamos mais guardadas por tanto tempo. Apego material? Ilusão com a famosa desculpa do “vai que eu preciso depois?”. Mas o depois nunca chega. Talvez seja alguma nostalgia, alguma necessidade de ter a opção de voltar a ser quem se era quando aquelas roupas ainda serviam ou não estavam desgastadas demais.
Libertar essas roupas que, coitadas, se encontravam presas sob camadas de pó foi quase um alívio. “Quase” porque, ao mesmo tempo que umas vão, outras ficam e, depois de uma grande limpeza, sempre chega a hora de colocar tudo de volta para o lugar. E existe coisa mais chata do que arrumar o armário?

Comentários