Aumenta o número de eleitores idosos e diminui o de jovens

O PERFIL do eleitor de Mairiporã mudou desde a última eleição presidencial, há quatro anos. Os inscritos no colégio eleitoral com idades a partir dos 60 anos, considerados idosos, cresceu 21,45%. Para a comparação, o Correio usou dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de junho de 2014 e de junho deste ano. O número aumentou em 2.229 pessoas aptas a votar no próximo dia 7 de outubro.
A faixa que concentra eleitores entre 60 e 69 anos, ficou 21,7% maior, enquanto na que tem 70 anos ou mais, a variação percentual foi ainda mais expressiva, 31,8%.
Se em 2014 eram 8.692 eleitores idosos na cidade, neste ano o total é de 10.921, que significam 16,5% de todos os eleitores. As mulheres são maioria, mas por diferença diminuta: 4.337 ante 4.317 homens.
Jovens – Na contramão desses números está o eleitorado jovem. Há quatro anos o número dos que possuíam título de eleitor com idades entre 16 e 17 anos (faixa em que o voto é facultativo) era maior.
Naquela oportunidade 750 estavam cadastrados, ou seja, 1,32% do colégio eleitoral. Hoje, são 528 que podem ir às urnas, queda de 42%. Os eleitores com 16 anos eram 224 no último pleito presidencial, e hoje caiu mais que o dobro, para 101. Na faixa dos 17 anos eram 536, e para as eleições de outubro próximo 427, perda de 25,5%.
Aqui também o sexo feminino é maioria, embora por pequena margem: 391 ante 369 homens. Esse fenômeno na mudança é explicado por cientistas políticos como a perda de interesse do jovem pela política. E enfatiza que aqueles que se têm relação com o assunto deveriam se aproximar do eleitorado de menos idade.
Para os economistas, no entanto, os dados são reflexos da população, que envelheceu e tem vivido mais. E cita que a geração mais velha tem outra formação política, de ser mais participativa e mais crítica.

Comentários