II – SEIS AMIGOS – final

Capítulo II – Controvérsia e Opinião
3- O domínio das técnicas e tecnologias administrativas inclui a sistematização de dois campos que até há bem pouco tempo se admitia conhecer por intuição (sensibilidade, feeling): a informação e a comunicação. Ser informado e saber comunicar são atributos inerentes a todo aquele que pretenda efetivamente administrar a controvérsia que caracteriza praticamente todas as relações contemporâneas. Para ser bem informado, é essencial saber o mais possível sobre a organização e seus públicos e o primeiro passo é proceder a um levantamento das condições internas da organização, utilizando para tal os recursos oferecidos pelos seis maiores amigos do homem, que o auxiliam tanto para se obter informações quanto para se comunicar. São eles as seis perguntas básicas para se tomar pé de qualquer situação: POR QUE? QUE? QUEM? COMO? ONDE? QUANDO?. Cada vez que o pesquisador recorre a um desses amigos, os outros vêm em apoio e participam da investigação. Isto quer dizer que ao se fazer uma das perguntas, fatalmente se estará dando vazão a um processo de indagações filosóficas (pela sucessão e constante presença de todas as outras perguntas) ajudando a busca de minúcias e a se chegar ao real conhecimento que só a soma das informações possibilita.
III – TODOS POR UM – 1ª parte
1- O acúmulo de informações só se justifica para se aprimorar a qualidade da tomada de decisões e permitir a evolução da pessoa, das instituições e da comunidade. Conhecer vale por isso, ou seja, porque ao se melhorar aqui, contribui-se para o crescimento da civilização, ainda que seja por uma modesta participação. Quando um administrador – público ou privado – deseja levantar as condições internas de sua organização, deve começar por fazer um resumo histórico da instituição, apoiando-se em seus seis amigos: POR QUE foi ela fundada (ou criada)? QUE fazia à época da fundação? Qual era sua estrutura? QUEM trabalhava na empresa? Eram funcionários qualificados? COMO eram feitas as coisas, quais os métodos de trabalho e as técnicas empregadas? ONDE estava situada a empresa? O local era adequado? E a cidade, era longe, grande, pequena, agradável, pujante, progressista, promissora? QUANDO funcionava a empresa, seus horários, turnos, dias de funcionamento (fechava ou abria nos finais de semana)? Como já se deduz, ao se perguntar o por quê do surgimento da instituição, os demais amigos acorrem e um turbilhão se forma na cabeça do pesquisador, havendo necessidade de se ordenar as questões e alinhar as respostas de forma que, ao prosseguir nas investigações, possa tirar conclusões parciais racionalmente. (continua)

Comentários