Com obra inaugurada, Sistema Cantareira passa a ter maior segurança hídrica

Os dispostivos que iniciaram as operações da obra da Sabesp que amplia a disponibilidade de água para 39 milhões de pessoas nos Estados de São Paulo e do Rio de Janeiro, foram acionados no sábado, 3, que permitirá transferir até 162 bilhões de litros de água por ano para o Sistema Cantareira.

A interligação Jaguari-Atibainha conecta duas bacias hidrográficas distintas, que permite abastecer com água os estados de São Paulo e Rio de Janeiro. O volume equivale a uma represa Guarapiranga cheia.

Com a nova obra, que consumiu investimentos da ordem de R$ 555 milhões, haverá mais água disponível para o abastecimento da capital e da Grande São Paulo. Também a Região Metropolitana de Campinas será beneficiada com a maior segurança hídrica no Cantareira.

No sentido que começa a operar agora, a água bruta captada da represa Jaguari, em Igaratá (Vale do Paraíba), percorre um corredor de quase 20 quilômetros de adutoras e túnel até chegar à represa Atibainha, em Nazaré Paulista. Serão até 5.130 litros de água por segundo para o Cantareira. Essa vazão passará pela estação de tratamento e será suficiente para abastecer 1,5 milhão de pessoas.

O sentido inverso está em fase final de construção. Aproveitando o mesmo túnel e a mesma adutora, a água da represa Atibainha poderá ser bombeada até a represa Jaguari, que pertence à bacia do Paraíba do Sul. Dessa forma, aumentará a segurança hídrica de todas as cidades que captam água dessa bacia. Isso inclui o Vale do Paraíba e a Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Serão até 12.200 litros de água por segundo nesse sentido.

Comentários