Abertas inscrições para programas de formação de professores

As instituições que quiserem participar dos programas de formação de professores anunciados pelo governo federal podem fazer a inscrição, que foram abertas anteontem, 7. De acordo com os editais do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid) e do Programa de Residência Pedagógica, o período de inscrição vai até o dia de 16 de abril e a previsão para o início dos projetos é a partir de 1º de agosto.

Para iniciar a inscrição nos dois programas primeiro é preciso a inserção do currículo do coordenador institucional e dos docentes orientadores na Plataforma Freire, disponível no endereço eletrônico http://freire2.capes.gov.br. Depois, a proposta deverá ser preenchida no sistema de inscrições da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), contendo as informações necessárias para o processo de classificação e seleção.

O Pibid é voltado para alunos que estejam na primeira metade de curso de licenciatura ofertado por instituições de ensino superior pública ou privada sem fins lucrativos. Serão concedidas bolsas entre R$ 400 e 1,5 mil, para estudantes, professores e coordenadores dos projetos.

Segundo o MEC, o objetivo do Pibid é promover a iniciação do licenciando no ambiente escolar ainda na primeira metade do curso, visando estimular, desde o início da jornada do docente, a observação e a reflexão sobre a prática profissional no cotidiano das escolas públicas de educação básica. Os selecionados serão acompanhados por um professor da escola e por um docente de uma das instituições de educação superior participantes do programa.

O Programa de Residência Pedagógica é voltado para alunos de licenciatura que estejam na segunda metade do curso. O objetivo é induzir o aperfeiçoamento do estágio curricular supervisionado, por meio da imersão do licenciando em uma escola de educação básica. A imersão deve contemplar, entre outras ações, regência de sala de aula e intervenção pedagógica.

Assim como no Pibid, cada selecionado será acompanhado por um professor da escola com experiência na mesma área de ensino do licenciando, e por um docente de instituição de educação superior.

À distância – Outro programa que receberá recursos do governo é o ‘Universidade Aberta do Brasil (UAB)’, que oferece cursos de formação a distância para professores já em exercício, em especial para aqueles que atuam em área diferente de sua formação. As propostas de cursos à distância pelo sistema poderão ser enviadas a partir de 19 de março pelas universidades públicas.

Segundo o MEC, a existência de professores lecionando fora de sua área de formação tem sido identificada pelo índice de formação docente do Censo da Educação Básica, cuja última edição data de 2017.

Comentários