Coluna do Correio 2/6/2017

FRASE
“Você não consegue escapar da responsabilidade de amanhã esquivando-se dela hoje.” (Abraham Lincoln, ex-presidente dos EUA)

CASA NOVA (I)
Com direito a um áudio que vem sendo veiculado em rádios por todo o Estado de São Paulo, o ex-vereador Aladim fez sua estreia no PR, depois de ter disputado as eleições a prefeito pelo PSC. Na cidade, o PR é comandado pela ex-secretária da Assistência Social, Lúcia Naf. Certamente será por essa agremiação que o ex-parlamentar vai se lançar como candidato a deputado. O que Aladim não decidiu, e se o fez ainda não contou, é se vai tentar vaga na Assembleia Legislativa ou na Câmara Federal. De todo modo, vai ter muito deputado interessado em lhe propor dobradinha.

CASA NOVA (II)
A mudança de endereço partidário de Aladim certamente mira 2020, quando será de novo candidato a prefeito. Quanto maior o número de agremiações a lhe emprestar apoio, melhor. No caso do PSC, a conversa é que o comando passará para as mãos do vereador Wilson Sorriso.
CANDIDATO
Nos meios tucanos a conversa é que o filho do prefeito, atual secretário de Obras, deverá se lançar candidato a deputado, mas ainda ninguém sabe se a federal ou estadual. Seria uma espécie de contraponto à candidatura de Aladim. Também não se descarta a candidatura do jovem a prefeito, em 2020, mas aí as condicionantes são outras, como o afastamento do pai da cadeira de prefeito, um ano antes.
2020
Ainda sobre o tema ‘eleição para prefeito’, corre à boca pequena por todo o Palácio Tibiriçá, a informação, com aval da famosa rádio peão, que o vereador Chinão Ruiz será candidato a prefeito e estaria trabalhando nesse sentido. Quem viver verá.
NA MOITA
Tanto na Prefeitura, quanto na Câmara, o assunto nepotismo está proibido. Não se fala nem se ouve nada sobre o tema. A proibição é, no caso dos comissionados e vereadores, recomendável e ‘prudente’. Há muitas ‘boquinhas’ em jogo. O Judiciário local, passados meses das nomeações de parentes do atual prefeito, não divulgou nenhuma decisão sobre as várias representações feitas com o objetivo de tirar dos cargos o filho e a esposa. Cidades da região foram mais rápidas em suas sentenças.
EM BAIXA (I)
A atual composição legislativa, que virou motivo de piada, diante da ‘cordialidade’ que mantém com o Executivo, também é criticada de forma veemente pelos próprios funcionários da Câmara. Os adjetivos são pesados e, a maioria, impublicável. Os mais citados são justamente os novos que ingressaram na carreira política. Para os funcionários, uma decepção. Se antes criticavam os que estavam cargos, agora agem da mesma maneira e, em alguns casos, ainda pior.
EM BAIXA (II)
Mas se engana quem pensa que os senhores edis se incomodam com críticas. De jeito nenhum. Seguem mudos e calados, porém atentos as boquinhas na Prefeitura, destinadas aos cabos eleitorais, e também aos próprios interesses.
EM BAIXA (III)
Um assíduo leitor fez o seguinte raciocínio: ‘se com apenas um assessor e sem automóvel, já fazem misérias, imagine do que esses intrépidos parlamentares seriam capazes com o velho esquema de muitos apadrinhados e combustível à tripa-forra pagos com o dinheiro público.
INTERESSES
Certas questões jamais serão levantadas pelos senhores vereadores. Os interesses pessoais e políticos falam mais alto. O mínimo que os atuais parlamentares poderiam ter feito, logo ao assumir, é propor a formação de duas Comissões Especiais de Inquérito (CEIs), a primeira para apurar o não funcionamento do novo hospital e, a segunda, ainda mais grave, sobre a situação do Centro Educacional, pois a sua construção custou milhões aos cofres públicos e o prédio está na iminência de desabar, ou seja, seriam necessários muitos outros milhões para reconstruí-lo. Quem pagará por isso? É justamente o que a CEI poderia responder, a começar pelos responsáveis pela obra: Prefeitura e a construtora.
ESPECIALISTA
Longe dos arroubos e prepotência de outrora e das proposituras de interesse coletivo, o vereador Marcinho da Serra tem se notabilizado, na atual gestão, por apresentar requerimentos. Não faz outra coisa. A cada sessão bate o próprio recorde e não se dá ao trabalho, semanas depois, de divulgar quais foram as respostas ou providências do Executivo, a quem encaminha a maioria deles. Ganharia muito o vereador se abrisse um escritório na cidade para auxiliar a população a escrever requerimentos. O homem é especialista no assunto. Como diz a letra de uma das músicas de Chico Buarque: “Quem te viu quem te vê”.
NOS BASTIDORES
Nos corredores da Câmara comenta-se, de forma não oficial, que o vereador Marcinho teve suas contas, relativas ao período em que ocupou a presidência, rejeitadas pelo Tribunal de Contas. Verdade ou não, o ti ti ti corre solto e oferece aos fofoqueiros de plantão usar e abusar daquela máxima: ‘quem conta um conto, aumenta um ponto’.
SESSÃO BOLO
As terças-feiras, para quem não tem nada melhor a fazer, assistir as sessões da Câmara tem sido uma delícia. Foi apelidada de ‘sessão bolo’, pois o que rola de ‘parabéns’ é uma festa. Dois intrépidos parlamentares, Carlos Augusto Forti e Fernando Rachas Ribeiro, disputam semanalmente quem tem o privilégio de ofertar mais ‘parabéns’. Forti dominou nos primeiros dois meses mas, nas últimas semanas, foi ultrapassado com folga por Fernando Ribeiro. Haja bolo!
DESATUALIZADO
O site da Prefeitura deveria informar com precisão as decisões do prefeito. Continuava no ar, até a manhã de terça-feira, a informação de que o Refis Municipal terminaria hoje, 2 de junho. O correto é que o parcelamento de dívidas com a Prefeitura foi prorrogado até 2 de julho, o que também é um contrassenso, pois esse dia cai num domingo. Ou vale até 30 de junho ou 3 de julho. Em se tratando do governo municipal, é melhor o contribuinte em atraso com o pagamento de seus tributos agendar a adesão até o último dia útil deste mês. O atual governo, assim como fez no pagamento do IPTU deste ano, se utiliza de um slogan muito usado no serviço público: “Se podemos complicar, porque facilitar?”
DESISTIRAM
Que a Prefeitura de Mairiporã é uma das administrações municipais que têm os piores salários, não é novidade. E isso se reflete até mesmo na hora de chamar aprovados em concurso para preenchimento de vagas. Na Imprensa Oficial desta semana foi publicado que a Prefeitura está convocando a assumir o cargo ou função de psicólogo, simplesmente o candidato que foi aprovado na 10ª colocação. Ou seja, nove declinaram da honraria. Na mesma publicação um engenheiro, classificado em 2º lugar, desistiu. Resta saber se o terceiro colocado quer encarar o desafio, neste caso uma aventura, pois o setor de Obras não tem estrutura para atender a cidade.
ADJETIVOS
O funcionalismo público municipal, diante do reajuste salarial concedido por conta da inflação anual, tem dirigido ao prefeito Aiacyda adjetivos que não se diz nem aos ladrões da Lava-Jato. Estão indignados com o percentual menor e com o imbróglio que ele criou em relação aos 4% restantes do acordo feito em 2016, com o então prefeito Márcio Pampuri, que também não cumpriu com o parcelamento. O Sindicato diz que entrou na Justiça para buscar o que é devido à categoria. Se ouvisse um desses adjetivos endereçados ao alcaide, até Dercy Gonçalves ficaria corada de vergonha.
PRORROGADO
O presidente da Câmara, Marco Antônio, prorrogou por mais 30 dias o prazo de funcionamento da Comissão de Assuntos Relevantes, que visa a estudar, analisar, propor encaminhamentos e sugestões sobre o grande número de clínicas de recuperação que se instalaram em Mairiporã, pois muitas são clandestinas. Pela décima vez esse tema volta à baila no Legislativo. As conclusões nunca são dadas a conhecimento público. Ou seja, filme velho. Assuntos com muita relevância, de verdade, sobre os quais os vereadores poderiam se debruçar, são deixados de lado.
GASTOS
Balancete da Câmara, publicado esta semana na Imprensa Oficial, traz a informação de que os gastos com a folha de pagamento do Legislativo, nos quatro primeiros meses do ano, foram de R$ 1,73 milhão, o que dá uma média mensal de R$ 433,53 mil. Ao final do ano, os gastos com funcionários e vereadores chegarão a R$ 22,54 milhões, já computado o 13º salário. É dinheiro!
GOZAÇÃO
Uma das manchetes da Imprensa Oficial da Prefeitura trouxe a informação de que a retirada de veículos abandonados das ruas deixou a cidade mais bonita. É gozação ou puxação de saco do pessoal da imprensa? Que bonita? Para ficar realmente bonita, a Prefeitura precisa fazer muito mais que isso, a começar pelo corte do mato, conserto das calçadas, operação tapa buracos e obrigar proprietários de terrenos baldios a acabar com a sujeira. Só para começar.
AS FOTOS
Depois de quatro meses o site da Prefeitura finalmente conseguiu postar as fotos de quase todos os integrantes do primeiro escalão. A demora não foi justificada, mas Gaiato, nosso guru espiritual, tem certeza que isso se deveu à demora na maquiagem, para que o ‘retrato’ ficasse bonito. Os titulares das pastas da Saúde e do Meio Ambiente ainda não ‘deram as caras’, literalmente.
NOMEAÇÃO
A Secretaria de Governo do prefeito Aiacyda, ao contrário do que se diz por aí, está mesmo reservada a Ruy Marcelo de Freitas. A nomeação, no entanto, depende da solução de um ‘imbróglio’ junto à Câmara Municipal de São Paulo, onde Ruy é funcionário concursado e depende de autorização para a transferência.
BELIGERÂNCIA
A reportagem veiculada na manhã de ontem pelo telejornal da Globo, Bom Dia São Paulo, sobre o Hospital Anjo Gabriel, promete acirrar os ânimos entre o atual e o ex-prefeito. Já há sinais de beligerância no ar e certamente o começo disso tudo passa por declarações de ambas as partes e, em seguida, ataques fartos de verborragia. Vai ter muita m…. no ventilador.
CONSIGNADO
Um grupo de pessoas deu entrada no Fórum a um pedido de pagamento consignado do IP TU deste ano. Quer obter do Judiciário o direito de depositar em Juízo o que é devido. Seus integrantes não se conformam com o método de cobrança adotado pela Prefeitura, que impõe aos contribuintes os bancos de sua preferência, que dificulta a vida de quem quer pagar em dias seus impostos.
PRIVILEGIADO
PEC do Foro, do senador Álvaro Dias, aprovada em primeiro turno no senado, retira dos estados a competência de definir quais autoridades têm direito a foro privilegiado, com julgamento pelo Tribunal de Justiça do Estado. Aprovada no Congresso, a PEC torna ‘mortais’ prefeitos, vereadores, juízes, promotores e até, em alguns estados, comandantes das polícias e delegados, que passam a ser julgados em primeira instância. Para o senador, foro só para o presidente da República, para os presidentes da Câmara Federal e Senado e presidente do Supremo Tribunal Federal. Ou seja, a prefeitada pode colocar as barbas de molho. Qualquer pendenga estará afeta à primeira instância.
REAJUSTE
Utilizar táxi vai ficar um pouco mais salgado em Mairiporã. O prefeito autorizou reajuste nas tarifas, que passaram a valer no dia 24 de maio último, porém os taxímetros ainda não foram aferidos pelo Ipem. O aumento é anual. A saída passa a custar R$ 7,00.

Comentários