Terra Preta espera por uma agência dos Correios há 7 anos

ANTÔNIO Aiacyda ainda era prefeito da cidade em 2010, quando a agência (ou posto) dos Correios no distrito de Terra Preta foi fechada. Funcionava no mesmo prédio da Subprefeitura. Explicações nunca foram dadas. Aiacyda, que hoje está de volta à Prefeitura, não esboçou nenhuma reação, até agora, sobre devolver a agência a um distrito que está próximo dos 30 mil habitantes, concentra o parque industrial da cidade (maior gerador de empregos no município) e tem um comércio cada vez mais crescente.
Sua população, no entanto, é obrigada a se deslocar até Mairiporã para fazer uso dos serviços oferecidos pelos Correios.
Durante a gestão do prefeito Márcio Pampuri o assunto raras vezes foi retomado e a Terra Preta segue sem esse serviço importante não só para as pessoas, mas também para as empresas.
Segunda classe – É importante observar que o governo municipal, desde sempre, considera Terra Preta como se fosse um tema de somenos importância. Algo como segunda classe.
O mesmo vale para o número de agências bancárias: só há duas, para atender milhares de terrapretenses e centenas de estabelecimentos comerciais e industriais.
A Subprefeitura também pouco oferece aos reclamos da sociedade, pois não tem estrutura adequada, não tem homens e máquinas para solucionar os problemas que remontam há muitos anos.
A população espera que o prefeito, cuja votação no distrito foi expressiva, mereça maior atenção, a começar pela instalação da agência, ou de um posto dos Correios.

Comentários