Prefeito tem a obrigação de fazer funcionar o Hospital Anjo Gabriel

SE O prefeito Antônio Aiacyda pretende esperar pela ajuda do Estado para fazer funcionar o Hospital Anjo Gabriel, essa não é a saída. O secretário estadual de Saúde, David Uip, em resposta a pedidos do Hospital Radamés Nardini, em Mauá, e o Hospital de Clínicas, em São Bernardo, descartou qualquer a possibilidade de o governo do Estado assumi-los.
Segundo ele, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) ordenou que nenhum equipamento seja estadualizado nos próximos anos. “Não há hipótese de o Estado assumir esse compromisso com as prefeituras. No contexto da regionalização, tudo o que for possível para ajudar as entidades municipais nós vamos fazer”, ponderou.
Entre as justificativas apresentadas por David Uip para a postura do governo estadual estão os custos e a racionalidade do sistema. De acordo com o médico, as taxas de ocupação de leitos em diversos hospitais está abaixo dos 50%. “Não é possível imaginar um hospital como o de Clínicas de São Bernardo só com 40% de ocupação.”
O que o prefeito Aiacyda tem que buscar é a terceirização e com isso entregar um equipamento moderno e com amplas instalações para atender a população, especialmente neste momento de crise, em que milhares de pessoas que tinham convênio particular de saúde, migraram para o SUS.
Apenas repassar recursos ao Hospital e Maternidade Mairiporã, que é particular, não resolve, pois a entidade já disse que tem registrado prejuízos mensais que não podem ser suportados e nem condições de adquirir equipamentos e ampliar suas instalações, para oferecer melhor atendimento.
Sem inaugurar o novo hospital e com as dificuldades enfrentadas pela Maternidade, o atendimento médico-hospitalar não vai ser capaz de dar as respostas que a sociedade espera há muitos anos.

Comentários