Pampuri e Ayacida devem explicações documentadas sobre dívidas da Prefeitura

O ENFRENTAMENTO entre a gestão anterior e a atual, em relação a existência ou não de dívidas no período encerrado em dezembro do ano passado, não pode seguir através de enunciados por parte do ex-prefeito Márcio Pampuri e do ocupante atual do Palácio Tibiriçá.
Ambos têm a obrigação de vir a público e mostrar os balanços que encerraram o mandato de Pampuri e colocar um ponto final nessa politicagem que só serve para confundir a população.
O Correio levou a um especialista em gestão pública os relatórios publicados pela Prefeitura em seu portal de transparência, disponível para todos, e também na edição da Imprensa Oficial.
Segundo disse à reportagem, os relatórios publicados referentes ao 3º quadrimestre de 2016 é bem mais favorável ao município do que tem dito a atual gestão. O relatório publicado aponta uma disponibilidade financeira deixada em 31/12/2016 de R$ 20,16 milhões, e não R$ 2,74 milhões como o divulgado pela Prefeitura. Esses dados também estão no Portal Transparência no site da Municipalidade.
Sobre as dívidas de precatórios, elas têm sido herdadas desde 2004 (nem Pampuri, nem Aiacyda tiveram pecratórios) e pagas religiosamente. Sobre restos a pagar, eles são totalmente legais quando existe cobertura financeira. E pelo que se viu publicado, é o que parece ter acontecido.

Comentários