‘Aos amigos’ nem tudo

O prefeito Aiacyda, a título de reestruturação administrativa, criou nos últimos dias mais 3 secretarias, com as bênçãos dos senhores vereadores. Numa análise com mais acuidade, ele recriou duas e elevou de categoria um departamento. A pasta de Esportes e Cultura, segundo comentários de bastidores, foi uma imposição do secretário da Educação, que não as queria agregadas à sua. Parece que sua vontade prevaleceu.
A volta do Desenvolvimento Econômico e Turismo era fava contada, para acomodar um amigo que já ocupou o mesmo posto entre 2005 e 2008, mas que logo pediu demissão pela falta de estrutura do órgão e recursos quase inexistentes.
A transformação do departamento ou coordenadoria de Segurança, seja lá o que isso significa, em secretaria, segundo conversas de bastidores, tem por objetivo criar uma guarda municipal. Esse papo também rolou quando o prefeito estava em seu segundo mandato, mas a falta de recursos não permitiu. Todas essas mudanças trazem como explicação aquele discurso mais que surrado: “aprimorar as condições de governança, buscar maior eficiência e melhorar a gestão pública”, que pode ser traduzida por outra frase de efeito: “conversa mole pra boi dormir.”
A questão relativa ao esporte é mais antiga que a própria cidade. A secretaria foi, é e vai continuar acéfala, sem recursos, sem profissionais gabaritados e quem sabe um setor que será útil apenas para abrigar afilhados políticos.
Se por um lado a criação de secretarias – agora são 13 no total – e a distribuição de cargos parecem servir para manter aliados, como parte da paga de campanha, por outro serviu para enfurecer outros quem se julgavam merecedores do cargo, mas por motivos inconfessáveis (talvez até impublicáveis) ficaram de fora.
As críticas, muitas delas virulentas, já enchem as redes sociais, inclusive uma, que diz textualmente que o prefeito nomeou uma antiga comissionada por absoluta pressão ou até mesmo pelo conhecido ‘rabo preso’. Verdade ou não, a história está lá, na rede.
Como dinheiro não dá em árvore, nem vai cair do céu como no primeiro mandato do atual prefeito, muitos vão deixar o cargo brevemente. Por enquanto, o céu é de brigadeiro.
Mas não é menos verdade que se pode alterar um pouquinho uma frase das mais aclamadas para adjetivar o início do governo municipal: ‘aos amigos’ nem tudo.

Comentários