TSE faz modificações para aumentar segurança nas urnas

O TRIBUNAL Superior Eleitoral (TSE) divulgou a informação  que solucionou os problemas encontrados no Teste Público de Segurança 2016 feito por um grupo de investigadores nas urnas eletrônicas no início do ano. As soluções foram verificadas pelos investigadores na semana passada. Entre as alterações está a melhoria nos sistemas para a votação de eleitores com deficiência visual.
Em março deste ano, durante três dias, especialistas em informática tentaram quebrar a segurança das urnas eletrônicas. Essa foi a terceira edição do teste e o diferencial da edição deste ano é que foi a primeira depois que o tribunal aprovou uma resolução tornando os testes obrigatórios antes das eleições.
Captação de áudio – O grupo que esteve no TSE era formado por integrantes da Universidade de Taubaté (SP). O teste feito verificou a possibilidade de captação de áudio emitido pela urna durante o voto de pessoas com deficiência visual. Segundo o tribunal, quando uma pessoa que tem essa deficiência vai votar, ela pode fazer uso de um fone de ouvido para escutar o áudio da urna que confirma oralmente os números que a pessoa digitou.
Outro fato analisado era a possibilidade de o áudio ser ativado sem que o eleitor soubesse.
Sugestões ao TSE – Depois do teste em março, o grupo fez sugestões ao TSE para resolver a vulnerabilidade, dentre elas reforçar o monitoramento na urna para verificação constante se ela está intacta e ninguém colocou algum dispositivo externo que não poderia e ela ser mais transparente com relação a sua interação com o eleitor, ou seja, se porventura o mesário habilitar o áudio, ou o áudio já vier previamente habilitado, ter alguma maneira de o eleitor ficar sabendo para poder questionar.
Segundo o TSE, o problema foi resolvido e, a partir de agora, o áudio da urna será ativado por meio de um código que será habilitado pelo mesário. A ativação só vai acontecer quando o eleitor que necessita fazer uso do recurso chegar à seção na qual vai votar. De acordo com informações do Tribunal, uma mensagem na tela vai informar ao eleitor que o áudio foi ativado, assim, a pessoa que não possui deficiência visual poderá verificar se o recurso foi ativado e assim informar o problema aos mesários da seção.

Fonte: agenciabrasil

Comentários

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *