Chuva de janeiro não alcançou a média histórica para o mês no Cantareira

AS CHUVAS que caíram nas represas que integram o Sistema Cantareira, durante o mês de janeiro, não foram suficientes para alcançar a média histórica para o mês. Segundo a Sabesp, a pluviometria nos primeiros 31 dias do ano foi de 181,6 mm, para a média de 265,1 mm.

O volume operacional continua estacionado em pouco mais de 40% (42,6%), muito próximo do estado de alerta, com armazenamento no volume útil de 418,2 milhões de m³.

A represa Paiva Castro, localizada em Mairiporã, registrou no último dia de janeiro o armazenamento de 2,67 milhões de m³, com 35% em seu volume operacional. No mês, choveu 178,20 milímetros.

O Sistema Cantareira é formado pelas represas Paiva Castro, Jaguari, Jacareí, Atibainha, Águas Claras e Cachoeira, que tem reservatórios nas cidades de Bragança Paulista, Nazaré Paulista, Piracaia, Vargem, Joanópolis, Franco da Rocha, Caieiras, Mairiporã e São Paulo.

Legenda: Represa Paiva Castro está em três territórios na região: Mairiporã, Franco da Rocha e Caieiras

Crédito: YouTube